depressao

Saúde Mental: Será que meu filho tem depressão?

depressao

Por Lenilson Ferreira

Recebi recentemente uma longa mensagem de uma mãe muito aflita. A fim de manter suas identidades em sigilo, tanto o nome da mãe quanto o do filho foram alterados. Vamos à transcrição de parte da longa mensagem, um autêntico grito de socorro desta mãe.

Preciso muito de sua ajuda! Meu filho Marco Antônio tem 18 anos e tem se comportado de forma muito estranha. Ele está cada vez mais isolado, não quer mais sair com os amigos e passa quase o dia inteiro trancado no quarto. Abandonou a escola, terminou o namoro e foi demitido do emprego porque começou a faltar e a chegar muito atrasado. Não sei mais o que fazer. Ele passa a noite inteira no computador e dorme durante o dia. O pai está cada dia mais irritado. Briga com ele aos berros dizendo que ele virou um vagabundo. Por favor, me ajude! Sílvia.

Sílvia é uma mãe que está enfrentando profundas dores emocionais, como muitas outras que residem em Margate, Flórida. Ela afirma que muitas de suas amigas têm problemas parecidos. Ela percebe que algo está errado com seu filho, mas não sabe aonde ir em busca de ajuda.

As mudanças comportamentais de Marco Antônio são típicas de um quadro de depressão. Coisas que antes lhe davam prazer, como namorar e até mesmo estudar, hoje já não despertam mais o seu interesse. Isolar-se do convívio social ou desejar ardentemente fazê-lo é outro sintoma típico da depressão. Marco Antônio também parece ter desenvolvido a chamada cyber dependência, ou seja, o desejo incontrolável de utilizar computadores por longos períodos de tempo.

A depressão costuma afetar seriamente a percepção da passagem do tempo. Meus pacientes frequentemente dizem que não têm certeza se algo aconteceu há poucos dias ou há poucos meses. A ideia da temporalidade fica prejudicada nos casos mais agudos da doença. Isto explicaria por que Marco Antônio não percebe que as horas custam tanto a passar e, assim, troca o dia pela noite.

O comportamento do pai é muito preocupante. Este não é o momento de criticar e atacar seu filho. É o momento do acolhimento paterno, algo fundamental na vida de um jovem que enfrenta sérios problemas emocionais. Pai e mãe devem se unir para dar ao seu filho o necessário e indispensável suporte de que ele necessita.

Estes pais devem levar seu filho a um psicanalista para que ele faça uma primeira leitura do caso. Este profissional trabalhará em conjunto com um médico psiquiatra, que é o responsável por prescrever medicamentos de acordo com a gravidade do caso. Caso se trate efetivamente de uma depressão, o uso de medicamentos e da terapia serão fundamentais para que Marco Antônio supere a doença que se tornou uma epidemia silenciosa em nosso século. As outras duas providências que precisam ser tomadas são o fornecimento de informações a todos os envolvidos com o caso e a criação de uma rede de apoio composta por amigos e familiares para dar suporte a Marco Antônio.
Todos precisam saber e entender o que está acontecendo, bem como o que devem e o que não devem fazer para ajudar Marco Antônio.

É possível vencer a depressão se as providências corretas forem tomadas. Negar a possibilidade da doença é uma das piores posições que se pode adotar em relação à depressão.

Caso você tenha alguma dúvida com relação à depressão, envie uma mensagem para o e-mail abaixo e lhe enviaremos as orientações necessárias. Você pode usar um pseudônimo, caso não queira se identificar. Boa Saúde Mental a Todos!

Lenilson Ferreira – Psicanalista

professorlenilsonferreira@gmail.com

 

 

Psicanalista

professorlenilsonferreira@gmail.com

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>