priscila fantin capa 201811 (2)

Priscila Fantin: The Lovely Star

Priscila Fantin é uma artista intensa que domina a pluralidade de atuar, produzir e dirigir espetáculos, além de ser estrela para nossos olhos tanto nos palcos, como no cinema e na TV. Nesta entrevista exclusiva ela fala sobre a carreira, decisões pessoais e sonhos.

Por Marisa Abel

Foi quando a doce Tati (Priscila Fantin) de Malhação apareceu nas telinhas em 1999 que o público se encantou com o carisma e talento da jovem atriz. Depois deste trabalho Priscila ficou nacionalmente conhecida, e os brasileiros, assim como eu, iniciamos como espectadores de uma artista que despontaria para o sucesso nos anos seguintes até os dias atuais. Versátil, ela fez papel de mocinha, vilã, protagonista, antagonista, hétero, homossexual, já fez italiana e até índia, a delicada e guerreira Serena da novela “Alma Gêmea”, que é apaixonante. Eu acompanhei todos estes anos de trabalho dessa artista e posso dizer que o talento só aflorou, assim como a mulher, nós vimos a transição de Priscila de menina à mulher e fico honrada de ela ter aceito conceder essa entrevista neste momento especial da Alô Você Magazine.

priscila fantin capa 201811 (4)

O sucesso dela vem, claro, de seu talento e dedicação à sua profissão, mas também da identificação que o público tem com seus diferentes personagens, que retratam a realidade de uma massa que está ávida por ver na tela as suas histórias particulares, e Priscila faz isso com maestria nos representando em cada obra. Na vida pessoal a atriz tem seus princípios bem definidos, pessoa do bem que valoriza o ser humano, que respeita as diferenças entre as pessoas e sabe aproveitar os doces sabores de pequenos momentos que dão sentido aos nossos dias. Em uma entrevista na época da peça “Além do que os nossos olhos registram” ela falou sobre o problema do preconceito, como ele se apresenta na sociedade e ficou enraizada na nossa cultura: “Na peça falamos de alguns preconceitos ‘normais’ na sociedade, o que definimos como normais devido à forma como o ser humano evoluiu, mas na minha opinião não deveria ser tido como normal porque o ser humano deveria ser mais humano”.

Assim é Priscila, humana no seu mais puro sentido, coração enorme tem essa mulher que, embora tenha milhões de atividades a desempenhar, ainda dedica sua atenção para projetos sociais, e faz isso de forma discreta, como fez com a ONG IKMR, que tem como finalidade especifica ajudar às crianças refugiadas. Atualmente produzindo, atuando e dirigindo a peça “Precisamos falar de amor sem dizer eu te amo”, Priscila mergulha cada vez mais no mundo dos palcos e traz para o público mais um excelente trabalho feito com paixão e profissionalismo. Confira o bate-papo quem realizamos com essa atriz que somos fãs e admiramos.

priscila fantin capa 201811 (5)

Alô Você: Quando sua grande chance de atriz de TV surgiu você estava aqui nos EUA, em Montana. Conta como foi sua experiência e seus melhores momentos em terras americanas.
Priscila Fantin: Acabei ficando só o primeiro mês de seis que havia programado para os Estados Unidos, então não deu para ter muitas experiências em terras americanas, e quando estava ai ficava mais em casa e na escola.

Alô Você: Você já atuou como lutadora de Luta Livre e recentemente MMA, as artes marciais já faziam parte da sua vida antes de você assumir esses papéis?
Priscila Fantin: Eu fiz Taekwondo e Capoeira quando era criança. Meus irmãos faziam. Depois fiz Muay Tay, sempre gostei da disciplina que as lutas trazem, além da autoconfiança, noção de defesa e força pessoal.

Alô Você: Sempre vemos você conectada com mundo esportivo, o que gosta de praticar, o que gosta só de assistir e qual seu sonho a realizar quando o assunto é esporte?
Priscila Fantin: Gosto de correr, de assistir patinação no gelo e gostaria de voltar para hipismo, talvez…

Alô Você: Exercícios fazem parte de uma necessidade ou podemos dizer que é seu estilo de vida escolhido por amor à atividade física?
Priscila Fantin: Se exercitar faz parte de ter qualidade de vida e saúde, tanto física quanto mental. Qualquer um precisa mexer o corpo para estar bem.

priscila fantin capa 201811 (1)

Alô Você: Sua carreira é recheada de personagens diversificados, de mocinhas, vilãs e personagens comuns, você se adapta a tudo. Como é sua preparação para cada personagem que aceita representar?
Priscila Fantin: Eu mergulho no universo da personagem, comportamento, estilo de vida, padrão social, profissão, hobby, caráter… vou moldando a partir do que ela oferece e exige.

Alô Você: Quais de seus personagens puderam te proporcionar lições de vidas inesquecíveis.
Priscila Fantin: Serena. Não só para mim, mas para todos que assistiram a novela!

Alô Você: Com “Precisamos Falar de Amor Sem Dizer Eu Te Amo” você atua e produz. Como tem sido essa experiência?
Priscila Fantin: E dirijo! Mas divido tudo isso com o Bruno, meu parceiro de vida. É muito bom termos tudo nas mãos, a responsabilidade faz com que o prazer de cada sessão encerrada seja meritoso. Da trabalho, dor de cabeça e noites sem dormir, mas vale a pena!

Alô Você: Ao longo de sua carreira profissional você declinou vários convites para participar de novelas devido à outras prioridades, como você analisa estes momentos?
Priscila Fantin: Depois de dez anos em que eu só trabalhei, abdicando da minha vida pessoal e social, entendi que não poderia mais abrir mão do que me faz bem, nem que seja uma hora solitária de meditação.

Alô Você: Sob seu ponto de vista, como você classificaria as artes no Brasil de hoje?
Priscila Fantin: Diversificada e com pouca adesão unânime, funcionam mais em seus próprios nichos, portanto nacionalmente escassa.

Alô Você: O que você guarda na memória que foi além “do que os olhos registram”?
Priscila Fantin: O primeiro encontro com o Bruno.

priscila fantin capa 201811 (3)

Alô Você: Sabores, cores, aromas, há várias sensações que ativam nossas memórias positivas de momentos inesquecíveis. Quais são as suas?
Priscila Fantin: Nesse momento só penso no pudim da querida Rigueira de quando fizemos a peça em Ouro Preto!

Alô Você: Hoje, como você define seu momento pessoal e pessoal?
Priscila Fantin: Muito fortalecidos, com base, autonomia e planejamento.

Alô Você: O que te arranca sorrisos inesperados e lágrimas de empatia?
Priscila Fantin: Provas de amizade, principalmente entre humanos e animais.

Alô Você: Qual desafio você gostaria para 2019?
Priscila Fantin: Fazer o filme da nossa peça “Precisamos falar de amor sem dizer eu te amo”!

Precisamos falar de amor sem dizer eu te amo

Depois de dez anos em que eu só trabalhei, abdicando da minha vida pessoal e social, entendi que não poderia mais abrir mão do que me faz bem

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>