John Vandenberg capa 202007 (2)

John Vandenberg: Empresas e o Green Card

Você sabia que as duas coisas têm tudo a ver? Confira a coluna desse mês de John Vandenberg

por Advogado John Vandenberg

O empreendedorismo está no sangue do brasileiro. Uma rápida folheada pela revista Alo Você é suficiente para ver o destaque dos negócios criados e/ou gerenciados por brasileiros na Philadelphia e pelo nordeste dos EUA. Mas você sabia que uma empresa também é uma forma de se obter um greencard?

Geralmente, o primeiro passo mais comum para brasileiros é o visto L-1A. Este visto é destinado a brasileiros que tem um negócio no Brasil e querem abrir uma filial aqui nos EUA. O visto permite que eles se transfiram com membros da família para o país para continuar o seu negócio daqui. Entre outros critérios, o visto L-1A exige que o executivo ou gerente a ser transferido tenha trabalhado por pelo menos um ano no Brasil e venha para os Estados Unidos mantendo essa função. Os benefícios são muitos, inclusive o de permitir que os filhos se matriculem em escolas públicas e o cônjuge tenha sua própria autorização de trabalho. Além disso, quando o negócio é lucrativo e está se desenvolvendo, o gerente/executivo pode conseguir o greencard para ele/ela e sua família.

John Vandenberg capa 202007 (1)

A segunda opção é: Brasileiros que atualmente tem o visto de estudante (F-1) podem buscar um empregador que patrocine o processo de greencard. Apesar de tradicionalmente o caminho para estudantes internacionais seja o OPT (Optical Practical Training), depois o visto de trabalho H-1B, daí para o greencard, este processo não é obrigatório. Se um estudante já conhece um empregador que queira patrociná-lo, ele pode ser patrocinado enquanto ainda é um estudante através do PERM/processo de certificação de trabalho. O processo PERM pode levar ao greencard em aproximadamente 18 meses com o patrocinador certo. No mercado de trabalho atual, no qual empresas não conseguem encontrar o número suficiente de trabalhadores qualificados, essa é uma boa hora para explorar essas opções. Pessoas que já tem um diploma e/ou experiência no Brasil tem até a possiblidade de reduzir seu tempo de estudo através desse caminho.

Em terceiro lugar: é importante lembrar que investir em um negócio não demanda uma autorização de trabalho ou mesmo status. Estudantes com o visto F-1 podem investir dinheiro e se tornarem investidores passivos sem violar seu status legal, contanto que não trabalhem para a companhia. E até pessoas que não tem status legal nos Estados Unidos podem abrir uma empresa. Não há necessidade de um seguro social para conseguir um número de identidade do empregador (Federal Employer Identification Number). E na cidade de Philadelphia, o Departamento de Atendimento aos Imigrantes pode te auxiliar para obter as licenças necessárias para iniciar o seu negócio (https://www.phila.gov/departments/office-of-immigrant-affairs/). Ser dono de uma empresa de sucesso com empregados que são cidadãos americanos também pode ser visto como positivo se o dono aplicar para alguma forma de alívio de deportação, como o cancelamento de remoção (Cancellation of Removal).

Em suma, negócios são bons. E para a comunidade de imigrantes, não apenas assegura sua segurança financeira, mas também pode ser a chave para obter um status de longo prazo e um greencard nos Estados Unidos. Se você quer saber mais sobre as possibilidades de conseguir status legal através da sua empresa, se quer iniciar seu próprio negócio enquanto imigrante, ou se deseja se tornar um investidor nos EUA, entre em contato com o nosso escritório e marque uma consulta para discutir as suas opções.

Informações de contato:
Telefone: (610) 664-6271
Email: john@hvlawgroup.com
Site: www.hvlawgroup.com
Facebook: Hogan & Vandenberg LLC
Endereço: 1608 Walnut Street, Suite 1301, Philadelphia, PA,19103

Fotos: Jeff Anderson | Tawatchai07 – Freepik

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>