nova consul geral do brasil ny 202107 (2)

Maria Nazareth Farani Azevêdo: A nova cônsul-geral do Brasil em NY

Bate-papo com Maria Nazareth Farani Azevêdo
Quero tornar o Consulado mais visível e ajudar os brasileiros a se integrarem melhor na sociedade e no mercado norte americanos.
Cônsul-Geral de Nova York, Embaixadora Maria Nazareth Farani Azevêdo e Consul-Adjunto, Ministro Fernando de Oliveira Sena

Diplomata com ampla experiência em promover e defender os interesses do Brasil perante várias organizações internacionais, Maria Nazareth Farani Azevêdo foi nomeada nova Cônsul-Geral do Brasil em Nova York. Com mais de 30 anos de experiência em diferentes áreas, quando começou sua carreira diplomática em 1982, a cônsul já ocupou diversos cargos importantes em Genebra, Montevidéu, Washington DC e Brasil. Conversamos com ela para saber mais sobre seus objetivos e caminhada no novo cargo para qual foi nomeada em abril desse ano.

Alô Você Magazine: Pode nos contar sobre sua trajetória política até chegar ao cargo de consul?
Maria Nazareth Farani Azevêdo: Ingressei na carreira diplomática em 1982. Desde então, tive experiência profissional em diferentes áreas, como comercial, econômica, ciência e tecnologia, direitos humanos e na diplomacia multilateral. Servi em postos em Genebra, Montevidéu, Washington DC e no Brasil. Em Genebra, fui Cônsul-Geral do Brasil e por duas vezes representante do nosso País junto às Nações Unidas e a outras organizações internacionais. Enquanto Cônsul-Geral em Genebra, realizei várias ações desde a difusão da cultura brasileira e a organização de festivais de cinema até sessões de capacitação profissional, passando por atividades de empoderamento feminino e de combate à violência doméstica. A diplomacia permite que o profissional explore diversas áreas de trabalho e que tenha experiência em diferentes países. Essa diversidade de assuntos é desafiadora e muito interessante.

COBERTURA EVENTO

A.V.M.: Antes de ser nomeada Consul-Geral, você chefiava a missão do Brasil junto às Nações Unidas, em Genebra (Suíça). Quais ações realizou neste cargo?
M.N.F.A.: Em Genebra, representei o Brasil junto às Nações Unidas e a diversas entidades internacionais, como a Organização Mundial da Saúde, Organização Internacional do Trabalho, Conselho de Direitos Humanos, Organização Internacional de Migrações e o Alto Comissariado para Refugiados. Participei, portanto, de discussões e ações importantes nas áreas dos direitos humanos, direito humanitário, meio ambiente, saúde, trabalho e emprego. Participei de negociações relevantes sobre acesso a medicamentos, empoderamento feminino, migrações, entre muitas outras. Recordo da Convenção sobre o trabalho decente para as Trabalhadoras e os Trabalhadores Domésticos, para assegurar trabalho digno para esses profissionais. Na área da saúde, trabalhei intensamente para tornar os medicamentos mais baratos e acessíveis para as pessoas. Tive a honra de contribuir para os esforços de erradicação da apátrida e entreguei com muita emoção o certificado de concessão da nacionalidade brasileira a Maha Mamo. Na área dos refugiados, participei de negociações e discussões de importantes instrumentos internacionais de apoio e proteção a refugiados. Contribui para ajudar sobretudo haitianos e sírios. Também participei de negociações e debates sobre os direitos das mulheres e das crianças. Na área ambiental, fui porta voz dos países em desenvolvimento nas negociações sobre florestas. Presidi vários órgãos de governança de organismos internacionais sediados em Genebra. Enfim, Genebra é o centro da diplomacia multilateral onde são negociados os principais instrumentos multilaterais que regem as relações entre os países.

A.V.M.: Quais são suas expectativas como nova Consul-Geral do Brasil?
M.N.F.A.: Minha expectativa é a de aproximar a comunidade brasileira do Consulado-Geral do Brasil. Quero tornar o Consulado mais visível e ajudar os brasileiros e as brasileiras a se integrarem melhor na sociedade e no mercado norte americanos. Para isso, sei que vou poder contar com o voluntariado da comunidade brasileira. Acredito na comunidade trabalhando para e pela comunidade.

A.V.M.: Você tem carreira de diplomata, toda essa experiência ajuda ainda mais nas ações nesse novo momento?
M.N.F.A.: A carreira diplomática oferece perspectiva ampla e diversificada do mundo em que vivemos. O trabalho do diplomata é guiado pelo interesse nacional mas sempre informado pela dinâmica internacional. A experiência diplomática ajuda a entender as complexidades do momento em que vivemos. Espero que essa experiência me ajude a fazer um trabalho cada vez melhor para a comunidade brasileira na nossa região.

A.V.M.: Um serviço importante é o consulado itinerante. Você pode nos dizer como ele funcionará pós quarentena?
M.N.F.A.: Em minha recente visita à Filadélfia, anunciei a retomada dos consulados itinerantes, muito importantes para a comunidade e, também, para o Consulado, que tem muito interesse e disposição para ajudar. Nossa ideia é estar em agosto próximo na Filadélfia para atender à numerosa e importante comunidade brasileira na Pensilvânia. Estaremos juntos novamente em breve. A Pensilvânia está em nosso coração.

fotos por Sandielle Photography e Giancarlo Almeida

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>